You are currently browsing the category archive for the ‘Festividades’ category.

Deus tem sido maravilhosamente bom para nós, o Seu Povo! Ele tem deixado grandes segredos de revelação por meio Israel e da Sua relação intima com os judeus. Os judeus conseguiram manter um alto conhecimento de símbolos, códigos e valores representados dentro das Sagradas Escrituras. O alfabeto hebraico e Palavra do SENHOR (Jeová) entregue ao povo contem verdades proféticas impressionantes para várias gerações e nações da Terra.

É por isso que a Bíblia deve ser estudada e analisada profundamente, além de ser lida com muita constância. Dentre os valores e códigos que encontramos no Pentateuco ou na Torá, há alguns que merecem nossa atenção neste momento:

Deus é um Deus de Tempos e Códigos Numéricos que inclui letras, expressões e palavras… o Ano 5570 aparece na Bíblia na forma de código mais de 200.000 vezes e sempre se relaciona a uma Nova Década de bênção do SENHOR (Jeová). Esse número 5570 do Calendário Bíblico Judaico corresponde ao Ano 2010 do Mundo Ocidental. O ano judaico começou no entardecer do dia 08 de Setembro do nosso calendário.

O ano 5570 ou 2010 tem várias implicações para nós:

1. Será uma Década em que comeremos o bem da terra.

2. Será uma Década em que teremos sobre nós e sobre nossa casa o Favor do SENHOR (Jeová).

3. Será uma Década em que desfrutaremos da Proteção Prometida de Deus e a Multiplicação da nossa Provisão e Riqueza em meio à crise dos povos.

4. Será uma Década da Boa Vontade do SENHOR (Jeová) para com os que são seus.

O fato de que o Ano 5570 ou 2010 seja o Ano “sinal” ou “emblemático” de uma Década, significa que em todos os anos marcados por Deus Sua manifestação aumentará, à medida que os outros anos vão chegando a esta Década. Logo a chegada do Ano 5571 ou 2011 do nosso Calendário Gregoriano ou Romano determina o aumento da Benção do SENHOR (Jeová) e da Multiplicação da manifestação do que foi falado por Ele no inicio da Década marcada pela chegada do Ano 5570 ou 2010.

Em 08 de Setembro começou em Israel o Ano 5571, o que potencializou um maior nível de Benção de Deus e de Suas profecias. Para nós, o fim de 2010 significa que teremos ainda mais, porque Deus assim nos prometeu. Ainda faltam dias e horas de grande bênção. Aleluia!!

Tudo o que o SENHOR (Jeová) falou para 2010, também terá seu lugar em 2011, foi falado para toda Década, mas veremos manifestar-se em um nível superior. Precisamos recordar as profecias dadas no ano de 2010, aqui estão:

1. O EVANGELISMO PROFÉTICO EMERGIRÁ

2. VÁRIAS NAÇÕES ENTRARÃO NA RETA FINAL PARA SEU MAIOR AVIVAMENTO

3. O POVO HISPANO CRESCERÁ MAIS NA AMÉRICA DO NORTE

4. INICIA-SE UM NOVO CICLO DE MISSÕES LATINOAMERICANAS

5. 2010 SERÁ ANO DO LEVANTAR DE UMA NOVA GERAÇÃO

6. SURGIRÁ UMA ONDA DE CALÚNIAS E DIFAMAÇÃO CONTRA OS MINISTROS DE DEUS

7. O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA SOCIAL DA IGREJA

8. UMA ONDA MAIOR DE SOBRENATURALIDADE ENVOLVERÁ A IGREJA EM 2010

9. OS DIAS DE NOÉ VIRÃO: CRESCERÁ A HOMESSEXUALIDADE E SUA INFLUÊNCIA

10. EM 2010 O PROFÉTICO SE ELEVERÁ À SUA MÁXIMA POTÊNCIA

11. EM 2010 SE INICIARÃO OS ANOS PARA HONRAR

12. 2010 – ANO DE NOVAS ETAPAS E NOVAS DIMENSÕES MINISTERIAIS

13. A PALAVRA PÓS-CRISE ESTREMECERÁ AS NAÇÕES

14. 2010 SERÁ UM TEMPO DE CAPACITAÇÃO E POSICIONAMENTO

15. O ANO DE 2010 SERÁ UM ANO DO ESPÍRITO SANTO

16. A GRANDE NUVEM DA GLÓRIA DE DEUS SE CONCETRA NA AMÉRICA LATINA

17. ATIVA-SE O ESPÍRITO DE ORAÇÃO, JEJUM E INTERCESSÃO PROFÉTICA

18. 2010 O ANO DA GUERRA DE ALTARES

19. UM ANO DE MUITOS SINAIS NA TERRA E NOS CÉUS

20. ANO DE ACELERAÇÃO E CUMPRIMENTO

21. ANO DE ASCENDER AO CENÁRIO PROFÉTICO

Conforme explicamos no início deste Guia, todas estas profecias do Senhor virão em 2011 em uma esfera de maior cumprimento e de maior manifestação e evidência espiritual.

Vejamos agora o que o Espírito Santo nos comunica para decretar para o ano de 2011:

1. O ano de 2011 – Ano da Prosperidade pela Palavra

O ano de 2011 marca o final de uma era teológica sobre o tema da prosperidade. Chega ao fim ensinamentos arcaicos sobre este tema que produziram uma igreja pobre e escravizada às dívidas.

Mulheres, famílias, organizações, ministros e ministérios que buscarem o Profético encontrarão as chaves da prosperidade na Palavra de Deus que marcarão o destino de Seus filhos positivamente pelos milagres que estes irão ver diante de seus próprios olhos. Os filhos serão ativados para ver acontecer a multiplicação sobrenatural.

2. 2011 – Ano do Impulso do Ministério da Mulher

O ano de 2011 trará uma maior ativação das mulheres no Ministério Quíntuplo e nos postos públicos no governo das nações. Deus honrará a mulher por sua alta sensibilidade profética, por sua abertura ao profético de Deus e seu inestimável apoio financeiro para a edificação dos Cinco  Ministérios da Palavra.

As mulheres terão grande recompensa de Deus por meio de milagres e de um poderoso mover de sobrenaturalidade através de suas vidas. Virá, para elas, uma poderosa e miraculosa colheita por tudo quanto têm semeado.

3. Em 2011 homens e mulheres que investiram anos de ministério

Para edificar o Ministério Quíntuplo serão honrados por Deus como “construtores apostólicos”. Grande colheita de almas, de influência, de expansão, de bens e finanças vem para eles.

4. 2011 – Ano de Enfoque na Família

Deus nos moverá para trabalhar arduamente focados na restauração:

· Do lar

· Do sacerdócio do homem na família

· Dos casamentos

· Das mulheres

· Dos idosos

· Das relações entre pais e filhos e filhos e pais

5. 2011 – Ano de um grande impulso na Nova Geração de empresários jovens

Deus se prepara para entregar uma grande diversidade de estratégias para jovens profissionais e para aqueles que não têm títulos universitários e sentem um chamado de Deus para criar novas empresas. As ideias do Espírito Santo levarão os jovens fieis ao sucesso em suas empresas.

6. 2011 – Ano de um Crescimento do Profético

Deus aumentará o fluir do Mover Profético nas nações ainda mais neste novo Ano.

7. Ano do Impulso do Ministério da Juventude

Especialmente na América Latina, os jovens irão ocupar o lugar das gerações mais velhas tanto na Igreja como na sociedade. Deus posicionará milhares de jovens na liderança das nações (ministérios, prefeituras, assembléias legislativas, economia, ciências, artes etc.).

8. Ano de Milagres Incomuns

Através da última “Telemaratónica de Enlace”, Deus declarou por meio de Seus profetas e apóstolos que Ele havia iniciado uma “Nova Hora” de milagres incomuns. No ano de 2011, isso será muito evidente no meio das nossas famílias e congregações.

9. Novas crises virão sobre o mundo

Muitos “reinos” serão abalados. Prepare-se para ver a paz, a economia e a tranquilidade de nações fortes tremerem em algumas regiões do mundo. Os sinais dos últimos tempos: guerras, rumores de guerras, pestes, enchentes, terremotos, estarão na ordem do dia.

Por isso, devemos aumentar nossas orações em favor das nossas nações e seus governos, devemos levantar uma fervorosa intercessão contra os poderes demoníacos que intentarão trazer destruição aos povos.

Devemos constantemente rever o Guia Profético dos anos de 2010 e 2011, para ter com clareza o que Deus planeja fazer através da Sua Igreja nas nações da terra.

Do “Avance Misionero Mundial de Rony Chaves”, enviamos os melhores votos para o ano de 2011 e profetizamos que terão em 2011 o melhor ano de suas vidas. Amém.

Anúncios

Pronunciado pelo Ap. Dr. Rony Chaves

     Considero muito importante esclarecer algumas coisas antes de entrar diretamente na Guia do Senhor para 2010:

     – Como um profeta que tem estado no exercício de seu oficio por mais de 20 anos Deus me tem permitido ir a muitas nações em diversas ocasiões ante diversos presidentes e chefes de Estado em períodos distintos de seus mandatos em uma mesma nação. Isto me tem feito perceber que as profecias que o Espírito me tem dado para os países visitados nunca se estiveram restritas a um governante nem a sua política econômica nem a sua ideologia. A mensagem Deus tem se mantido, apesar de entrarem ou saírem os governantes. Independente de quem seja esse Presidente a mensagem profética tem permanecido inalterada; é uma mensagem profética para a nação independentemente de quem reja seu destino político.

     – Reitero que ainda que respeite muito a nação de Israel e os estudiosos de tal cultura este Guia Profético não está determinado pela simbologia hebraica ou seu calendário, mas no que Deus me tem revelado especificamente para Sua igreja e de nossos tempos proféticos atuais.

     1. O Evangelismo Profético emergirá:

     O ano 2010 se caracterizará por uma nova onda de evangelização, que emergirá no continente americano. Outra vez Deus levantará os seus evangelistas com grande poder; Ele fará com que Sua igreja saia de suas quatro paredes para ganhar aos perdidos para Jesus. Diferentemente de outras épocas os sinais proféticos serão muitos e mais evidentes.

     2. Várias nações entrarão na reta final de seu maior:

     Avivamento: Argentina, Chile, Peru, Venezuela, Colômbia, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, Guatemala, México e a República Dominicana entrarão na ante-sala da maior manifestação do poder de Deus em seus territórios; os ministros devem preparar se para uma grande colheita. Amém.

     3. O povo hispano crescerá mais na América do Norte:

     O povo latino-americano crescerá mais do que nunca nos Estados Unidos e Canadá e influenciará poderosamente no âmbito espiritual, econômico, social, esportivo, artístico e político. O tempo para América Latina no continente chegou. Preparem-se para ver Deus posicionar os hispano-americanos estrategicamente.

     4. Começa o Novo Ciclo de Missões Latino-americanas:

     Com maior maturidade, agora, a igreja da América Latina tomará consciência do seu papel estratégico e emergente no plano “missiológico” de Deus para o tempo do fim. Os latino-americanos serão preparados e enviados em grande quantidade nos próximos meses à Europa, aos países árabes, a Israel e as regiões longínquas da Ásia. Muitas congregações serão plantadas nestes lugares.

     5. 2010 será o ano do aparecimento de uma nova geração:

     A geração da substituição está pronta na América para substituir uma liderança caduca, sem visão e permissiva. Emergirão os políticos jovens de grande visão nacional-social e os novos e conquistadores ministros do Evangelho. Eles trarão uma grande transformação as nossas nações.

     6. Onda de calúnias e difamação contra os Ministros de Deus:

     A igreja receberá, como nos fins da década passada, uma onda de calúnias e difamação contra seus ministros mais usados no tempo presente. Uma grande rede de intercessão deve ser levantada a favor deles. A Igreja no mundo deve anular com seus decretos toda palavra lançada contra os servos de Deus. Por motivo algum devem dar crédito aos detratores dos homens e mulheres do Senhor. Amém.

     7. O despertar da consciência social da igreja:

     2010 será um ano do despertar dos ministérios do Senhor chamados a trabalhar na área social. O Espírito de Deus iniciará um ciclo de testemunho para a sociedade do amor de Jesus pelos perdidos. Este maravilhoso testificar do Senhor acontecerá através de uma grande obra de demonstração de trabalho social com o povo necessitado. No ano de 2010 a igreja despertará e assumirá seu papel para demonstrar o Reino de Deus com trabalho social.

     8. Uma onda maior do sobrenatural envolverá a igreja em 2010:

     Vejo vir um poderoso rio de águas do Espírito Santo encher a América. Estas águas são de SOBRENATURALIDADE. As crises diversas envolverão a terra e serão necessários muitos milagres para resolver diversos problemas familiares e das cidades. Deus dará a Seu povo as estratégias para sair de cada crise e para prosperar milagrosamente em meio a derrota daqueles que não confiam no Senhor. Aleluia.

     9. Os dias de Noé virão:

     Como nos dias de Noé acontecerá: o mundo se “sodomizará”. Cada vez mais se sentirá a força de grupos de homossexuais e lésbicas para que as sociedades atuais aceitem como normal e como um direito da humanidade suas inclinações sexuais. Ainda que o mundo o aceite Deus definiu Sua posição: homossexualidade é pecado. Devemos orar muito pelo arrependimento destes grupos e sua conversão a Jesus. Muitos deles serão salvos por Deus e testificarão o amor de Jesus por eles.

     10. No ano de 2010 o profético se elevará a sua máxima potência:

     Nos anos deste novo milênio temos visto Deus encher cada vez mais as nossas nações com um fluir profético mais intenso ativando dons e habilidades proféticas nos crentes de maneira incomum. Neste ano teremos uma inundação do rio profético de Deus; as águas subirão de nível extraordinariamente.

     11. No ano 2010 começará os anos de honra:

     Deus nos dará a grande oportunidade de honrar a pais e ministros conhecidos por seu grande trabalho no serviço e ministério ao Senhor. Homens e mulheres de linda trajetória serão reconhecidos neste ano pelo seu trabalho para outras gerações. 2010 será tempo de honrar.

     12. 2010 – Ano de novas etapas e novas dimensões ministeriais:

      2010 será um ano no qual Deus introduzirá a muitos as novas etapas e designações em seus chamados. Muitos ministros serão introduzidos a novas dimensões do fluir do Espírito; eles experimentarão coisa que têm sonhado ter com Deus e que nunca antes tinham podido viver. Prepara-se para viver momentos extraordinários do poder divino e seus milagres.

     13. A palavra pós-crise fará tremer as nações:

     O termo pós-crise fará tremer, a partir de 2010, aos economistas e empresários das nações, mas será um grande sinal para o mundo empresarial cristão. Deus fará prosperar em meio do pós-crise a seus empresários dando-lhes estratégias financeiras de avanços para propiciar uma grande transferência de riqueza às mãos dos justos, que honram ao Senhor com seus dízimos, ofertas e primícias. Quando ouvir o som da expressão pós-crise alegre-se; a sua bênção está a caminho.

     14. 2010 será um tempo de receber poder e tomar posição:

     O Espírito Santo vem falando por anos de Sua obra entre políticos e profissionais cristãos na América para preparar o caminho a muitos nas posições de autoridade no campo da política, economia, ciência e artes; esse tempo começa com grande aceleração a partir de 2010. Veremos grandes mudanças ocorrerem em nossos países e emergirá uma geração jovem para ir tomando as riquezas de nossas sociedades. Muitos políticos corruptos serão tirados do caminho por Deus.

     15. O ano 2010 será um ano do Espírito Santo:

     Na verdade cada ano é um ano do Espírito, mas com esta ideia quero enfatizar que Deus, este ano, dará testemunho pelo Seu Espírito de Seus ministros genuínos; muitos deles entrarão à plenitude ministerial. Deus os honrará provocando sua grande elevação, seu reconhecimento, sua provisão sobrenatural e os levará ao cumprimento de sua visão pessoal. Os falsos ministros, os opositores e os perseguidores dos verdadeiros servos de Deus serão expostos e verão a disciplina do Senhor por seus atrevimentos contra a Casa de Deus e Seus ungidos. Será um tempo de bênção para uns e tempo de juízo para outros.

     16. A grande nuvem da glória de Deus se concentra na América Latina:

     Com maior força e expansão da glória do Senhor se assentará sobre nossas nações mais que nos anos anteriores. O cheiro do avivamento será percebido em meio à diversidade de situações econômicas e políticas de nossos países. O cenário profético já está pronto e nada o atrasará, nem anulará.

Começa o ciclo de avivamento mais poderoso da nossa história. Regozijemo-nos, a hora da nossa visitação chegou.

     17. Ativa-se o Espírito de oração, jejum e intercessão profética:

     A densidade da nuvem de Deus sobre América Latina ativará outra vez a oração e o jejum em nossos povos. Os apóstolos e profetas voltarão a tocar a trombeta chamando a guerra espiritual estratégica para a liberação e bênção de nossos territórios. Afina bem os seus ouvidos para ouvir o chamado.

     18. 2010 – O ano para a guerra dos altares:

     A adoração será levada a um nível altíssimo; isto derrubará influências do ocultismo em nossas cidades. Nossos lares serão lugares chaves para exaltar a Jesus e trazer liberdade a seus bairros. Literalmente os adoradores de Jesus liberarão uma guerra espiritual contra as hostes demoníacas que amarram nossos povos. A adoração será nossa proteção e nossa maior arma de batalha. Deus virá em nosso socorro.

     19. Um ano de muitos sinais na terra e no céu:

     Uma grande sacudida trará mudanças inesperadas no governo e governantes em Israel e Deus dará muitos sinais nos céus e na terra que anunciam sua volta iminente; volta em glória.

     20. Ano de aceleração e cumprimento:

     Deus tem dado a ordem aos Seus anjos de acelerar processos e eventos para que Suas visões e Suas profecias dadas ao Seu povo se cumpram mais rapidamente do que o normal. Prepare-se para ser surpreendido por milagres de Deus cada manhã. Este ano será de grande colheita para os adoradores e semeadores fiéis do Senhor.

     21. Ano para subir o cenário profético:

     O trabalho dos profetas, apóstolos e demais ministérios tem preparado o cenário profético para uma nova geração. Deus tem para crianças e jovens deste tempo um plano extraordinário; os encherá com Sua dupla porção de Seu Espírito profético para impactar e transformar cidades e nações. Este é seu tempo para subir o cenário profético do Senhor.

 

  1. 1.    Como se originaram as comemorações natalinas

 

     Uma das coisas a se observar no Novo Testamento é que nem os apóstolos, nem a Igreja primitiva e nem o próprio Jesus deram qualquer ênfase ao Seu nascimento. Na verdade não vemos esse tipo de comemoração em qualquer lugar das Escrituras exceto no caso de pagãos, como os Faraós e Herodes, pessoas sem compromisso com Deus, ou seja, pagãos.

     A comemoração do nascimento de Jesus foi introduzida no século IV a partir de Constantino e estabelecida oficialmente na Igreja a partir do século V. Isso porque o costume não era celebrar o nascimento de Jesus Cristo, mas Sua morte. Veja a Enciclopédia Americana, edição 1944: O Natal, de acordo com muitas autoridades, não se celebrou nos primeiros séculos da Igreja Cristã. O costume do Cristianismo não era celebrar o nascimento de Jesus Cristo, mas sua morte – a comunhão instituída por Jesus no Novo Testamento é uma comemoração da Sua morte.
     A mesma afirmativa encontramos na Enciclopédia Britânica, edição de 1946, que afirma ainda que o Natal não constava entre as antigas festividades da Igreja (…) Não foi instituída por Jesus Cristo nem pelos apóstolos, nem pela autoridade bíblica. Foi tomada mais tarde do paganismo.

     A Enciclopédia Católica, em sua edição de 1911, afirma que a festa do Natal não estava incluída entre as primeiras festividades da Igreja (…) os primeiros indícios dela são provenientes do Egito (…) os costumes pagãos relacionados ao início do ano se concentram na festa do Natal.

     Vale aqui ressaltar então que pelo menos nos primeiros trezentos (300) anos a Igreja não celebrou o Natal. Isso é mais da metade da idade do Brasil. É quase uma vez e meia o tempo em que o Brasil se tornou independente de Portugal. Em todo esse tempo os cristãos não viram qualquer necessidade nem ensino que os levasse à celebração do Natal.

    2.  Jesus não nasceu em 25 de Dezembro

     Esdras 10 nos mostra que, por ocasião do mês nono (para nós, Novembro – para eles, Chisleu), todo o povo se congregou para confessar seus pecados e buscar o perdão e o favor divino (v.10-13). Era tempo de grandes chuvas e por isso os homens tremiam muito. Cantares 2:11 fala que esse mesmo tempo era de muito frio. Isso nos mostra (e o conhecimento do clima de Israel ainda hoje), que a partir de meados de Outubro, até o início do ano seguinte, é tempo de chuvas e de muito frio, sendo que em alguns lugares chega a gear devido às baixas temperaturas.

     Lucas 2:8 nos afirma que quando Jesus nasceu (…) havia naquela mesma região, pastores que estavam no campo, e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho. Ora, isso jamais poderia ter acontecido em Dezembro, nem mesmo após 15 de Outubro.

     Durante a época da Páscoa (começo da primavera) era costume dos judeus daqueles dias levarem ovelhas aos campos e desertos, e recolhe-las ao começo das primeiras chuvas. Isso é afirmado por Adam Clarke no vol. 5 de seu Comentary, edição de New York. Afirma ainda que os pastores cuidassem dos seus rebanhos dia e noite, durante todo o tempo que permaneciam fora.

      As primeiras chuvas começavam nos meses de Outubro ou Novembro (do nosso calendário). Vimos que as ovelhas estavam nos campos, e como os pastores, portanto, ainda não haviam recolhido seus rebanhos, é de concluir que Outubro (do nosso calendário) ainda sequer havia começado.

    3. A verdadeira origem do Natal

     A Enciclopédia de Conhecimentos Religiosos, de Schaff-herzog, explica que não se pode determinar com precisão até que ponto a data da festividade natalina dependia da brunária pagã (25 de dezembro), que seguia a saturnália (17 a 24 de dezembro) celebrando o dia mais curto do ano e o ‘Novo Sol’(…) as festividades pagãs, saturnália e brunária, estavam ademais, profundamente arraigadas nos costumes populares para serem abandonadas pela influência cristã. É interessante observar, no entanto, que pregadores cristãos, tanto do Oriente quanto do Ocidente, protestavam contra a frivolidade indecorosa com que se celebrava o nascimento de Cristo ao mesmo tempo em que os cristãos da Mesopotâmia acusavam os irmãos Ocidentais de idolatria e de culto ao Sol por aceitarem como cristã uma festividade pagã.

     O fundo histórico disso tudo é a época da suposta conversão de Constantino. Até ali a Igreja Cristã tinha sido perseguida utilizando-se os meios mais atrozes na busca de acabar com o cristianismo. Mas como mostra Justo Gonzalez, na coleção Uma História Ilustrada do Cristianismo, quanto mais era perseguida mais a Igreja crescia e o martírio dos cristãos era uma mensagem poderosa, quando muitos iam para a morte cantando e louvando o Senhor por serem achados dignos de morrer pelo Seu nome.

     Nesse contexto, Constantino assume o Império Romano e começa uma aproximação sutil e até hoje suspeita. Os resultados da conversão do imperador foram e são até hoje tão malignos que leva-nos a supor muito mais em um plano muito bem arquitetado por satanás, a fim de minar as bases do plano de Deus de alcançar o mundo com a mensagem de Cristo.

     Assim, quando Constantino assumiu, declarou todo o império cristão, abriu as portas para a entrada e permanência das heresias; algumas das quais vemos até hoje. A partir daí todos os que simplesmente nasciam dentro dos limites do império se tornavam automaticamente cristãos. Já não era mais necessário fé, novo nascimento, vida de santidade.

     Devemos nos lembrar que o mundo de então era profundamente paganizado. E quando Constantino fez sua declaração de fé cristã colocou o cristianismo em pé de igualdade com o paganismo. E os pagãos, que por decreto haviam tornado-se cristãos, continuavam com seus costumes pagãos. Em 25 de dezembro continuou a ser a maior das festividades idólatras, pois celebrava o deus sol.

     Através de pesquisas descobrimos que através do maniqueísmo pagão se identificava o Filho de Deus como o Sol físico. Assim, com a conversão em massa ao cristianismo, via decreto do imperador, o pretexto necessário apareceu e a festa de 25 de dezembro (dia do nascimento do deus sol) passou a ser considerada também dia do nascimento do Filho de Deus.

     A mesma Enciclopédia Americana já citada também afirma que em memória do nascimento de Cristo se instituiu uma festa no século IV. No século V, a Igreja oriental deu ordem de que fosse celebrada para sempre, e no mesmo dia da antiga festividade romana em honra ao deus-Sol

     A Enciclopédia Britânica afirma que a partir de 354, alguns latinos, possivelmente, transferiram o dia da festividade, de 06 de janeiro para 25 de dezembro, quando se realizava uma festa mitraísta ou nascimento do Sol Invicto… Os sírios e os armênios, que se prenderam a data de 06 de janeiro, acusavam os romanos de idólatras e adoradores do Sol, alegando (…) que a festa de 25 de dezembro tinha sido inventada pelos discípulos de Corinto.

    4. A história maligna do Natal

     A origem maligna da celebração de 25 de dezembro teve origem na antiga Babilônia, de Ninrode, de época imediatamente posterior ao dilúvio. Gênesis 10:8-12 nos fala deste personagem, que também é citado na história e tradições dos povos mais antigos.

     Sendo filho de Cuxe, neto de Cão e bisneto de Noé, Ninrode foi o verdadeiro fundador do sistema babilônico que até hoje domina o mundo – o sistema de competição organizado – de impérios e governos pelo homem baseado no sistema econômico de competição e de lucro. Ninrode construiu a torre de Babel, a Babilônia primitiva, a antiga Nínive e muitas outras cidades. Lê organizou o primeiro reino deste mundo. E o significado de seu nome bem descreve o que criou – Ninrode deriva de Marad, que significa ele se rebelou, rebelde.

     Sabe-se bastante através de muitos escritos antigos que falam a respeito deste indivíduo que se afastou de Deus. O homem que começou a grande apostasia profana e bem organizada, que tem dominado o mundo até hoje.

     Consta que Ninrode era tão perverso que se casou com sua própria mãe, cujo nome era Semíramis. Depois da sua morte prematura sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida.

     Todo ano no dia do seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore sempre viva e deixava presentes nela. O dia do aniversário de Ninrode era 25 de dezembro.

     Conforme a lenda foi tomando vulto Semíramis foi ganhando força de um verdadeiro endeusamento, o que a levou a ser chamada de “Rainha dos Céus” dos babilônicos. Daí vemos mais uma das formas de manifestação maligna de satanás com as quais tem iludido as nações. Se em Babilônia era Semíramis, em Éfeso era Diana, no Egito era Isis, e no Brasil sabemos quem é.

     Já Ninrode passou a ser adorado como um verdadeiro messias, filho de Baal,  o deus-Sol. Nesse falso sistema babilônico a mãe e a criança ou a Virgem e o menino (isto é, Semíramis e Ninrode redivivo) transformaram-se em objetos principais de adoração. Essa adoração da Virgem e o Menino se espalharam pelo mundo afora. Portanto, nos séculos IV e V, quando centenas de milhares de pagãos do mundo romano eram legalisticamente introduzidos no Cristianismo, levaram consigo as antigas crenças e costumes sob o manto de nomes cristãos. Assim popularizou-se também a idéia da Virgem e o Menino especialmente durante a época do natal.

    5.  Outros costumes pagãos absorvidos pelo cristianismo

Papai Noel 

     Já vimos que a figura do Papai Noel, como sendo aquele que vem sorrateiramente à noite trazer presentes na celebração do aniversário, nada mais é do que uma ilustração sentimentalizada de Ninrode, o filho prematuramente morto de Semíramis, que voltava sempre por ocasião da celebração de seu aniversário – 25 de Dezembro – para ali deixar presentes ao pé do pinheirinho.

      A Enciclopédia Britânica, vol 19, 11ªa, edição inglesa, informa que: o nome Papai Noel é, ainda, uma corruptela do nome São Nicolau um bispo romano que viveu no Século V, e atesta que São Nicolau, bispo de Mira, um santo venerado pelos gregos e latinos no dia 06 de Dezembro.

A lenda de sua dádiva oferecida às escondidas, de dotes, às três filhas de um cidadão empobrecido, diz ter originado o costume de dar presentes às escondidas no dia de São Nicolau (06 de dezembro) o que mais tarde foi transferido para o dia 25 de dezembro.

     Diante do exposto, vemos que a estória de São Nicolau na verdade é uma forma de dar sentido cristão a um costume totalmente pagão.

 

– Árvore de Natal

     Como abordado anteriormente à questão do uso da árvore de natal tem suas raízes no paganismo babilônico. E ainda alguns alegam que nada tem de mal possuir e armar em casa uma árvore de natal. No entanto, precisamos estar atentos para o fato de que as idéias referentes a árvores sagradas são muito antigas. Entre os druidas, por exemplo, o carvalho era sagrado; entre os egípcios as palmeiras; em Roma, era o abeto. O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de natal a todos os que se aproximavam de seu abeto sagrado.

     Sabemos que as pessoas, na sua maioria, não adoram árvores. Contudo, vemos claramente que adquiriram a idéia gentílica por ignorância. No entanto, mudam-se os nomes, vestem-se novas roupagens, mas o paganismo continua a ser o mesmo. É a velha história: chame uma lebre de leão, mas ela não deixará de ser uma lebre. Veja o que diz Jeremias 10:2-4.

 

– Troca de presentes no Natal

     Normalmente o clímax da celebração do Natal é o momento em que as pessoas podem se cumprimentar e trocar presentes entre si. Mas observar o que a história diz revela as origens nada bíblicas de tal costume.

     Na Biblioteca Sacra, vol. 12, encontramos que a troca de presentes entre amigos é característica tanto do natal quanto da saturnália e possivelmente foi adotada pelos cristãos.

     Leia Mateus 2:1-11. Mesmo o argumento comum de que a troca de presentes tem a ver com a ação dos magos que levaram presentes a Jesus cai por terra diante de uma análise mesmo superficial do texto.

     Os magos ao chegarem junto a Jesus lhe ofertaram ouro, incenso e mirra. Primeiramente eles haviam procurado por Jesus, tinham inquirido sobre onde ele teria nascido. Agora observe o texto e veja:

1. As dádivas foram oferecidas a Cristo – em momento algum eles trocaram presentes entre si;

2. Inquiriram pelo menino Jesus nascido Rei dos Judeus – não estavam levando presentes pelo nascimento de Jesus, pois chegaram muitos dias depois, mas na verdade estavam fazendo algo que era costume, (e ainda continua hoje) ou seja, não podiam ir à presença de um rei sem levar presentes significativos.

     Adam Clarke, em seu Commentary, ao vol. 5, afirma que os povos do Oriente nunca chegam à presença de reis ou de grandes personagens sem um presente nas mãos. O costume é freqüentemente encontrado no Velho Testamento e ainda hoje está em vigor. Assim sendo, os magos não estavam instituindo um novo sistema cristão de permutas de ofertas. Na verdade agiam de acordo com antigo costume oriental de levar ofertas ao apresentar-se diante de um rei. Um exemplo disso foi à rainha de Sabá que levou presentes a Salomão.

     Alguns textos de alerta sobre a absorção de costumes pagãos levam-nos a repensar nossos atos. Veja por exemplo Deuteronômio 12:1-2, 30-32.

     Hoje, além desta raiz pagã, há ainda a forte influência econômica. Natal é a época de muita propaganda e marketing para venda.

É um tempo em que o deus mamom domina e leva inclusive muitos cristãos a desonrarem seu compromisso com a obra de Cristo.

    Ficam tão preocupados em seguir o costume pagão, são tão enredados pelos desejos gerados por mamom de ter, ter e ter mais, que ao invés de investirem no Reino de Deus, investem em si mesmos com presentes supérfluos não raramente criando dívidas e compromissos que ocuparão sua mente nos próximos meses. Daí pra frente é “esperar equilibrar as finanças para, se possível, voltar a investir no Reino de Deus”.

     Lembre-se sempre que quando satanás estabelece seus pactos das trevas sempre busca formas disfarçadas de renovar essas alianças. É assim com as procissões, com os rituais de despachos nas encruzilhadas e inclusive com a participação de crentes em celebrações ao deus-Sol no 25 de dezembro com todas as suas nuances e implicações – incluindo aqui a troca de presentes.

     Vale à pena aqui ler Apocalipse 18. Fala da Babilônia de Ninrode que ainda hoje domina o mundo e tem se infiltrado nas Igrejas cristãs de forma sutil.

    6. Quando então Jesus nasceu?

    Sim, podemos através de alguns detalhes bíblicos situar cronologicamente o nascimento de Jesus e verificar que o Seu nascimento foi o cumprimento de uma das mais importantes festas do Velho Testamento – a Festa dos Tabernáculos.

     Jesus Cristo nasceu na festa dos Tabernáculos, que acontecia a cada ano no final do 7º mês (Etenin) do calendário judaico, que corresponde ao mês de Setembro do nosso calendário. A festa dos Tabernáculos ou das Cabanas, significava Deus habitando com seu povo. Foi instituída por Deus como memorial para que o povo de Israel se lembrasse dos dias de peregrinação pelo deserto em que o Senhor habitou num tabernáculo no meio do seu povo (Levítico 23:39-44; Neemias 8:13-18).

    No Evangelho de João capítulo 1, vers. 14 vemos: Cristo (…) habitou entre nós. Esta palavra em grego é skenoo ou tabernaculou; isto é, a Festa dos Tabernáculos cumprindo-se em Jesus Cristo, o Emanuel (Isaías 7:14) que significa Deus Conosco. Em Cristo não se cumpriu somente a Festa dos Tabernáculos, mas também a festa da Páscoa na Sua morte (Mateus 26:2; I Co. 5:7) e a festa do Pentecostes quando enviou o Espírito Santo sobre a Igreja (Atos 2:1).

     Vejamos nas escrituras alguns detalhes que nos ajudarão a situar cronologicamente o nascimento de Jesus:

     Os levitas eram divididos em 24 turnos e cada turno ministrava por 15 dias.

(I Cr. 24:1-19; 24 – turnos X 15 dias = 360 dias ou 1 ano). O oitavo turno pertencia a Abias (I Cr. 24:10). O primeiro turno iniciava-se com o primeiro mês do ano judaico (mês de Abíbi – Êxodo 12:1-2; Deuteronômios 16:1; Êxodo 13:4).

     Comecemos por Zacarias, pai de João Batista. Ele era sacerdote e ministrava no templo durante o turno de Abias (Lucas 1:5,8,9). Terminado o seu turno voltou para casa e, conforme a promessa que Deus lhe fez, sua esposa Isabel, que era estéril, concebeu João Batista (Lucas 1:23-24). Portanto João Batista foi gerado no fim do mês Tamuz ou início do mês Abe.

     Agora um dado muito importante: Jesus foi concebido seis meses depois (Lucas 1:24-38). Portanto Jesus foi concebido no fim de Tebete ou início de Sebate. Visto estes detalhes nas Escrituras chegamos à conclusão que João Batista foi gerado no fim de Junho ou inicio de Julho quando Zacarias voltou para casa após seu serviço no templo. Jesus foi concebido seis meses depois no fim de Dezembro ou início de Janeiro. Ele não nasceu em Dezembro como diz a tradição, mas foi gerado neste mês. Nove meses depois, no final do sétimo mês (Etenim), Setembro no nosso calendário, quando os judeus comemoravam a festa dos Tabernáculos, Deus veio habitar com Seu povo. Nasceu Jesus! Deus tabernaculou com seu povo. Nasceu o Emanuel. Deus habitando conosco.

Pesquisa e elaboração: Pr. Edson Valentim de Freitas Filho

Fonte: http://kolshofar.wordpress.com/

Correção: Lucas P.

 

Perfil

Lucas Pinangé

Versículo da Semana

Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra.
Colossenses 3.2

Calendário

outubro 2017
D S T Q Q S S
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Twitter

Flickr Photos