Ansiedade

Logo depois da queda de Adão foi isentada, no homem, a fragrância absoluta da vida, que abrigava em si dantes de quebrar sua aliança com Deus Pai, quando este O ofendeu consumando-se em transgressão.

Com este vácuo existente buscou, o homem, o preenchimento; porém de alta futilidade procurou e encontrou, através da culpa e desonra que o pecado deu a luz, a vaidade expressa em seus sofisticados trajes e alimentos. Através e nesses, com objetivo egocêntrico, ansiou o lucro, ou seja, o abastecimento de riquezas.

Em procedimento, cada tempo mais intenso, a ansiedade acresceu-se e, em ávido, o homem além do material principiou a se preocupar com o porvir, infelizmente, limitado ao dia próximo. O desassossego foi e é tamanho, que Jesus apregoou a nós, carentes e inquietos homens, a solicitude pela vida em Lucas 12:25, dizendo: “Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?”

Um côvado corresponde a quarenta e cinco centímetros (45 cm). Jesus faz desdém, ironizando, do pecado da ansiedade, que se comete, pois da parte do homem este não apenas a adquire espontaneamente, mas a nutre fazendo com que a consternação o ostente em todo percurso dos seus pensamentos, comportamentos, decisões e concretizações de um desastre pessoal e, conseqüentemente, coletivo.

O afluxo da sua vivência está homogeneizado, onde o soluto é a sua mera humanidade e o solvente a ocasionada abstinência de Deus.

Mas para todo este inacabável episódio Cristo Jesus traz exortação aos cristãos, os quais em hipótese alguma pode se assemelhar aos gentios: “Pois os gentios de todo o mundo buscam todas essas coisas, e vosso Pai sabe que necessitais delas” (Lc. 12:30). Se o Pai está cônscio de que você necessita de todas essas coisas, porque então você perpetua em desobediência e incredulidade com a Sua própria palavra dita? Ei! Volte-se ao seu criador e não apenas deslumbre sua fidelidade e demasiada graça para consigo, mas enraíza-se na abundância prometida.

Simplesmente, aceite de bom grato à paternidade indistinguível do Deus Eterno.

Em Yeshua, para Sua glória,

Lucas P.

Anúncios